quinta-feira, 3 de janeiro de 2008




A apresentação do logo dos próximos Jogos Olímpicos a decorrer em Londres em 2012 teve uma repercursão com contornos únicos.

Desenvolvido pelo Designer Wolff Ollins, o logo desencadeou uma série de reacções negativas repercutidas na sociedade civil e na blogosfera, principalmente. De tal forma foi o impacto deste logo que inclusivé criaram-se petições a circular por Inglaterra e pelo mundo a exigir o redesign de toda a identidade gráfica.

Uma coisa é certa, ame-se ou odeie-se o logo, ele tem cumprido uma função de Brand Awareness como poucos e as ondas de protesto que se levantaram só podem ser traduzidas em boas notícias para quem trabalha no mundo da comunicação.

Abaixo um resumo do press-release que acompanhou a apresentação do logo:
"O ícone poderoso e moderno simboliza o espírito dinâmico que está tradicionalmente associado ao espírito dos Jogos Olímpicos e à sua capacidade de tocar a todas as pessoas espalhadas pelo mundo.

Londres 2012 serão os jogos de todos e todos serão Londres 2012. Esta é a visão que está gravada no coração da nossa marca. Ele irá simbolizar os objectivos pretendidos de tocar e inspirar todos os jovens com o verdadeiro espírito Olímpico.

O novo logotipo é dinâmico, moderno e flexível, capaz de gerar um reconhecimento de marca junto das pessoas, e especialmente junto dos mais jovens, que deixarão de associar os jogos Olímpicos a logos estáticos e passarão a associar a uma marca dinâmica, assente em tecnologia e com uma capacidade de transmitir esta imagem quer através dos meios tradicionais, quer através dos novos meios."


O próprio Wolff Ollins defendeu o logo no seu website através da seguinte argumentação:
"O logo Londres 2012, através do seu atrevimento pouco convencional, deliberada boa disposição e uma surpreendente dissonância consegue traduzir uma cidade de Londres que ser moderna, com uma diversidade extraordinária e acima de tudo vibrante.

A forma do seu emblema é capaz de tocar a qualquer um. Tem uma incrível flexibilidade, no entanto é bastante consistente. As soluções que sustentam o logotipo apontam claramente para uma linguagem visual única. A palete de cores, linhas e formas traduzem energia, inspiração e uma impactação possível em qualquer aplicação".


O Presidente do Comité Olímpico Internacional ainda acrescentou:
"Este é um logotipo verdadeiramente inovador e que consegue captar a essência dos Jogos Olímpicos de Londres de 2012, nomeadamente inspirar os jovens de todo o mundo através do desporto e dos valores Olímpicos. Cada edição dos Jogos Olímpicos tem o seu próprio cunho. A marca apresentada hoje para a edição de Londres 2012 é um prenúncio do dinamismo, modernidade e intensidade com que esta edição irá ficar gravada na história dos Jogos Olímpicos".

É aqui que pensamos que este logotipo e a identidade gráfica desenvolvida, de facto, cumpriu o seu papel de forma exemplar. Conseguiu uma disrupção evidente com tudo o que se desenvolveu até ao momento no universo Olímpico e abriu a porta a novas possibilidades de explorar o espírito Olímpico.
A partir de 2012 nada será como dantes.

É aqui que também gostaríamos de ouvir as opiniões dos nossos leitores.

Será a disrupção o principal factor que sustenta a criação de uma identidade gráfica?

O logo é bom? É mau?

Que atributos deveria ter este logo para chegar de uma outra forma a todos nós?

O fenómeno que se desencadeou à volta deste logo é prejudicial para a área da comunicação? Ou pelo contrário, foi bastante benéfico?

O que é irá acontecer a partir de agora? A tradição deixa de ter sentido?

Falem conosco...

Posted by ... boost alpha às 15:48
Categories: Labels:

Sem comentários: