terça-feira, 1 de abril de 2008



O conceito do marketing experiencial é composto de cinco elementos base: sentir, interiorizar, pensar, agir, e relacionar.

SENTIR: O marketing através do SENTIR apela aos sentidos com o objetivo de criar experiências sensoriais através da visão, do som, do toque, do gosto, e do cheiro. O marketing do SENTIR pode ser usado para diferenciar empresas e produtos, para motivar clientes, e adicionar valor aos produtos. O elemento SENTIR requer uma compreensão de como conseguir o impacto sensorial.

INTERIORIZAR: A INTERIORIZAÇÃO apela aos sentimentos interiores e às emoções dos consumidores, com o objectivo de criar as experiências afectivas que poderão variar de intensidade dependente da forma como se ligam a uma marca. A intensidade poderá variar de moderada (por exemplo, quando estão ligadas a um produto ou serviço com um tempo de vida curto - alimentos ou produtos industriais de limpeza) a forte, incluindo sentimentos de alegria ou orgulho quando ligadas por exemplo a uma tecnologia ou uma causa social. A interiorização de sentimentos ocorre principalmente no momento em que se está a consumir um determinado produto, significando que a publicidade tradicional pode-se revelar pouco eficaz pois não está orientada para provocar e interiorizar sensações no momento do consumo, mas sim no momento imediatamente anterior. As condições ideiais para que a INTERIORIZAÇÃO funcione é um entendimento perfeito sobre quais os estímulos que são necessários para provocarem determinadas sensações, assim como a predisposição que os consumidores possam revelar para desenvolver uma empatia com um determinado produto ou serviço.

PENSAR: O marketing do PENSAR apela ao intelecto com o intuito de criar experiências cognitivas que façam com que os consumidores se envolvam com a marca de uma forma criativa, através da contraposição de raciocínios convergentes e divergentes que conduzem à surpresa, intriga e provocação. Campanhas baseadas neste elemento são comuns quando se lançam novos produtos baseados em tecnologia avançada. No entanto estas campanhas não são exclusivas dos produtos high-tech, revelando-se muitas vezes em design de produtos, retalho, telecomunicações e muitos outros.

AGIR: O marketing baseado no ACTO procura despoletar experiências corporais, estilos de vida e interacções. O marketing do AGIR enriquece as vidas dos consumidores realçando suas experiências físicas, mostrando-lhes formas alternativas de fazer coisas, estilos de vida alternativos, e interações possíveis diferentes. No entanto a aproximação analítica e racional aos comportamentos de mudança é apenas uma das possíveis no espectro das mudanças comportamentais. As mudanças de estilo de vida são normalmente mais motivacionais, inspiracionais e espontâneas de acordo com a natureza humana e muitas vezes assente na imitação de modelos instituídos (por exemplo as estrelas de cinema, de rock ou desportivas).

RELACIONAR: O marketing relacional é uma soma de todos os outros elementos atrás descritos. No entanto o marketing relacional tem a capacidade de ultrapassar os sentimentos privados e pessoais dos indivíduos, relacionando estas experiências com outras desenvolvidas por outros indivíduos com a ajuda ainda de factores culturais, ou geográficos, por exemplo. As campanhas assentes em marketing relacional apelam para a vontade do indivíduo se valorizar (projectando, por exemplo, uma imagem da sua personalidade no futuro). Apelam ainda à necessidade do indivíduo ser bem aceite entre os seus pares e remetem-no para sistemas sociais mais direccionados e concretos (por exemplo sub-culturas ou nacionalidades), resultando daí comunidades com fortes ligações a uma marca.

(Fonte: Bernd H. Schmitt- Experiential Marketing: How to Get Customers to Sense, Feel, Think, Act, Relate)

Posted by ... boost alpha às 11:30
Categories: Labels:

Sem comentários: