quarta-feira, 2 de abril de 2008



Qual é o modelo de líder brilhante? O carismático Jack Welch, antigo CEO da General Electric que se transformou em pop star do mundo corporativo? Ou o inovador Lee Iacocca, ex-presidente da Chrysler, o primeiro homem de negócios a tornar-se um guru? O americano Jim Collins, um dos maiores especialistas mundiais em gestão de empresas, diria que nenhum deles o são.

Os melhores, segundo ele, quase nunca estão na ponta da língua. Muitas vezes são completos desconhecidos, mais apaixonados pela companhia onde exercem do que pela própria biografia. O padrão de Collins para considerar um líder excelente é exigente. Só entram na lista os que fazem as suas empresas crescer o triplo da média do mercado durante 15 anos. No livro Empresas "de Bom a Excelente", ele aponta apenas 11, das empresas como Gillette, Kimberly-Clark, Wells Fargo e Abbot Laboratories. A característica primordial nesses líderes, de acordo com Collins, é a humildade.

O desempenho do líder é decisivo para uma empresa?
Um dos elementos que fazem com que uma empresa deixe de ser boa para ser excelente é a liderança. Na nossa pesquisa, observamos que os líderes do nível mais alto, o nível 5, foram os que geraram resultados de longo prazo.

O que é um líder nível 5?
Os líderes nível 5 têm humildade. São os melhores. Eles superam os nível 4, que são bons, mas não são humildes. A ambição que eles possuem não é acerca deles próprios. É dirigido à empresa. Eles vêm-se como secundários, submetem-se a uma causa maior, que é a empresa. Combinam humildade com resultados furiosos. Esta foi uma conclusão empírica. E uma surpresa. Os que se destacaram foram, muitas vezes, os desconhecidos. E há um dado curioso: 99% deles vieram do interior da empresa.

Quem, por exemplo?
Pessoas como Darwing Smith, que dirigiu a Kimberly-Clark, ou Colman Mockler, que transformou a Gillette. Smith tomou a difícil decisão de vender as fábricas centenárias da empresa. Ele tinha vindo de lá. E tinha acabado de ter um cancro. Pôs-se de lado e disse: se existe um cancro no braço, tem de se removê-lo. Isso é um líder nível 5. Não importa quão penosa, difícil ou sofrida seja a acção. O segredo é cortar o próprio braço, se for necessário. É demitir o próprio irmão, se a empresa for familiar.

Por que eles superam os líderes nível 4?
O executivo nível 4, em contraste com o nível 5, tende a ser menos discreto, chama mais a atenção. Eles são o tipo de líder que têm mais ambição para si próprios. São pessoas como Lee Iacocca (ex-presidente da Chrysler). Ele é um líder, mas não produziu o mesmo crescimento. Existem líderes nível 5 carismáticos. Sam Walton (Wal-Mart) é um deles. Mas ser carismático é perigoso. É mais difícil atingir a excelência sendo carismático. Esses líderes tendem a convencer as pessoas através da sua habilidade pessoal, e não por argumentos lógicos ou racionais. Isso é uma desvantagem.

Como funciona sua escala de classificação dos líderes?
Para ser um executivo nível 5, é preciso ter as qualidades dos níveis 4, 3, 2 e 1. O nível 1 reúne as capacidades individuais. O 2, as de equipe. O 3, as de administração. O nível 4 reúne habilidades de liderança: capacidade de comandar, dar orientação, mobilizar e transformar um grupo. Os nível 5 têm todas essas capacidades, mas deixam a ambição pessoal de lado em nome da empresa.

Então uma estrela como Jack Welch não é um executivo nível 5?
A GE é uma empresa com cem anos de liderança. Nenhum líder sozinho fez a GE excelente. Muitos definiram as regras. Mas a minha leitura pessoal é que os executivos nível 5 são aqueles que fazem as empresas crescer e atingir mais sucesso do que eles próprios. E a empresa tem de continuar a apresentar excelentes resultados por 15 anos. Welch deixou a GE há apenas cinco. É cedo para julgar.

(fonte: revista época)

Posted by ... boost alpha às 13:09
Categories: Labels:

Sem comentários: